sábado, 21 de dezembro de 2019

Larvas Astrais


As larvas astrais são descritas como seres de aspecto bastante desagradável, com cores que lembram o vermelho sangue e o verde musgo. Apesar de não serem visíveis no mundo físico, existem de tal forma que os seus efeitos são desastrosos. Além das consequências emocionais, podem chegar a interferir na condição física de quem sofre com elas. Falta de energia, dores constantes, problemas nos rins e costas são alguns dos prejuízos que podem causar à nossa saúde.

Mas você deve estar se perguntando: de onde saem essas larvas astrais? Elas são atraídas por vibrações baixas, o que não quer dizer sentimentos maldosos apenas. Pessoas que estão emocionalmente debilitadas, que passam por momentos difíceis e mesmo as que enfrentam alguma doença no momento são as mais suscetíveis. No entanto, podem ainda ser enviadas por alguém ou fruto de resquícios de magia negativa. Basicamente, essas larvas surgem de tudo aquilo que não é bom ou saudável, seja física ou espiritualmente.

Por mais que as larvas astrais causem distúrbios à nossa vida, essas consequências não são intencionais. Esses seres estão perdidos entre as dimensões e não encontram uma forma de subexistirem a menos que se alimentem assim. O que podemos fazer é auxiliá-los a encontrarem o seu caminho. Devemos perdoá-las e, por mais difícil que isso pareça, usar amor e compaixão para com elas.

Limpezas energéticas e outros procedimentos externos podem ajudar, mas essa nunca será uma solução definitiva. As larvas astrais precisam ser reencaminhadas, conduzidas aos seus locais de origem e a única forma de fazer isso é através do amor, conversando com esses seres, pedindo a intervenção de Miguel Arcanjo. Lembre-se ainda de orar e meditar, pois é muito importante fortalecer o seu interior durante esse período.

Estudos de Espiritualidade: http://www.lunacao.com/p/espiritualidade.html

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Zé Pelintra


Zé Pelintra faz parte da Linhas dos Malandros e é relevante para a representação daqueles que se encontram marginalizados pela sociedade, pois prova através de sua ação como guia espiritual que o falso conceito de malandro nada mais é do que um estereótipo criado por aqueles que não possuem a visão dos verdadeiros desafios no caminho dos humildes.

Ele é a lição aos menos informados de que nem todos os desafortunados no sistema de um país representam alguma ameaça para a sociedade. Ensina a importância do respeito e do valor aos que, mesmo diante de tanta dificuldade, ainda pagam com um belo sorriso os mais julgadores olhares.

Esta entidade trabalha, tal como todo malandro, para desfazer energias negativas, expulsar ações doentias que são geradas pelo preconceito, trazer purificação para a alma dos necessitados de paz, cura para todos os setores e abertura de caminhos em qualquer assunto.

O linguajar é simples, como a de um boêmio. Faz referência à vida como um jogo, pois procura nos orientar sobre o aspecto temporário deste plano material. É uma fase que atravessamos aqui e temos que conhecer e aceitar as regras do jogo, no qual as vitórias devem ser comemoradas e as derrotas são encaradas como lições para nos fortalecer e evitar a repetição de erros.

Suas vestimentas são bem conhecidas e convém ressaltar que este guia espiritual não utiliza a cor preta, apesar de trabalhar bastante na linha de esquerda. Assim, se apresenta trajando terno branco, sapatos, gravata vermelha e chapéu panamá de fita vermelha. Algumas vezes utiliza também uma bengala. Elegância, gingado e simpatia são características inseparáveis de Seu Zé.

Espiritualidade - Escola Virtual: http://www.lunacao.com/p/espiritualidade.html

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Oração a Pai Ogum


Pai Ogum, que minhas palavras e pensamentos cheguem até vosso conhecimento, em forma de prece, e que sejam ouvidas e atendidas!

Ogum, Senhor das estradas, fazei de mim um verdadeiro andarilho, que eu seja sempre um fiel seguidor do teu exército, e que nas minhas caminhadas eu encontre apenas as vitórias.

Ogum, vencedor de demandas, que todos aqueles que cruzarem a minha estrada, cruzem com o propósito de engrandecer cada vez mais minha jornada de crescimento espiritual.

Que em meus caminhos, possa eu ser merecedor das vossas bençãos: a espada que me encoraja, o escudo que me defende e a bandeira que me protege.

Meu Pai Ogum, não me deixes cair, não me deixes tombar.

Espiritualidade - Escola Virtual Lunação: http://www.lunacao.com/p/espiritualidade.html

sábado, 14 de dezembro de 2019

Vamos falar de Oxumaré?


São símbolos diretamente atribuídos a Oxumaré (ou Oxumarê) a serpente e o arco-íris. Estes símbolos carregam diversos significados, entre eles: a renovação, sabedoria e sexualidade contidos na serpente; a beleza, o amor e a autoestima contidos no arco-íris.

Oxumaré corresponde ao trono masculino do Amor, absorvendo os desequilíbrios gerados por comportamentos equivocados no uso desta energia.

É sincretizado com São Bartolomeu e as orações, pedidos ou rituais solicitando suas forças podem ser realizados às terças-feiras. Pode-se pedir por mais sabedoria para viver, aprender a lidar melhor com a energia do amor e por transformação daquilo que não vai bem na vida, por qualquer razão que seja.

O simbolismo da serpente é de grande auxílio em situações nas quais a renovação ou adaptação sejam necessárias. Exemplos: término de um relacionamento amoroso - não para trazer a pessoa que tomou outro rumo de volta, mas para que seja possível adaptar-se a este novo cenário afetivo sem aquele alguém ao lado, para a vida poder seguir como precisa. Além disso, é aplicável também a mudanças de rumo na esfera profissional ou mesmo quando mudamos de endereço residencial.

Enfim, sempre que passarmos por algum tipo de transformação na vida e carecermos de apoio para adaptação ao novo contexto ou quando desejarmos uma transformação para que tudo se renove em harmonia, poderemos nos lembrar deste orixá. Arroboboi, Oxumaré!

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Curiosidade sobre o nome Cernunnos


A representação do deus cornífero Cernunnos foi encontrada em muitos lugares, mas somente em um deles havia o nome atribuído à imagem. Essa descoberta foi feita em 1710 e o local foi o coral de Notre-Dame, em Paris.

O final "os" de Cernunnos sugere um processo de helenização do nome original celta, principalmente por saber-se que os druidas eram familiarizados com o grego. Pela sugestão de Doreen Valiente e concordância de Janet e Stewart Farrar, o nome helenizado era Herne e há uma razão para isso: o grito de um gamo soa como HERN e, portanto, essa era a forma mais elementar pela qual os mortais poderiam nomear sua divindade - a partir do som que recorda um gamo da floresta (sendo Cernunnos um deus gamo).

A troca do "h" pelo "c" é sugerida por nomes de locais, tais como Cerne Abbas em Dorset, local da famosa colina gigante situada a sudeste da Inglaterra.

Fonte: A Bíblia das Bruxas - Parte 2 (Janet e Stewart Farrar)

Escola Virtual: https://cursos.lunacao.com/publico/

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Equinócios e Assombrações


"Doreen Valiente ressalta que as aparências espectrais mais frequentes de certas assombrações recorrentes estão em março e setembro, os meses dos Equinócios - períodos bem conhecidos para os ocultistas como sendo tempos de estresse psíquico. Isso parece contradizer a ideia de os Equinócios serem tempos de equilíbrio; embora o paradoxo seja apenas aparente. Tempos de equilíbrio, de atividade suspensa, são por sua natureza as ocasiões quando o véu entre o visível e o invisível é fino".

O véu mais fino separando o mundo material do espiritual é uma ocorrência bem conhecida na noite de Samhain, - o pico do outono, correspondente ao ano-novo bruxo - porém, o trecho acima, contido na obra "A Bíblia das Bruxas - Parte 1" de Janet e Stewart Farrar, esclarece não tratar-se de ocorrência exclusivamente associada a este Sabbat, embora as características sejam outras.

Escola Virtual: https://cursos.lunacao.com/publico/

Os Sabbats devem ser celebrados apenas nos dias exatos?


Segundo Janet e Stewart Farrar em "A Bíblia das Bruxas - Parte 1", isso é preferível e não essencial. Leva-se em consideração o seguinte: tanto em Sabbats quanto em Esbats, nem sempre as pessoas têm a devida disponibilidade para o ritual. Os motivos são diversos e, claro, consequentes de exigências da vida moderna.

Na citação que os autores supracitados fazem de Diana Demdike, "é melhor estar atrasado do que adiantado". Tendo em mente que trabalhamos com poderes das marés mágicas da terra, as quais começam no efetivo ponto solar no tempo, trabalhar antes significa encontrar-se no ponto mais baixo da maré anterior. Isso não seria nada útil.

Conclusão: se não puder, por suas razões, celebrar o Sabbat ou Esbat* no dia exato, prefira atrasar o seu ritual, ao invés de antecipá-lo.

Obs: no caso do Esbat, a observância da data precisa talvez seja mais importante, considerando que há um curto espaço de tempo da energia da Lua Cheia, antes de começar a minguar.

Escola Virtual: https://cursos.lunacao.com/publico/