domingo, 27 de março de 2011

Fim dos tempos?


Não há fim dos tempos e sim transformações. Claro que é chegada a hora de mudanças e a Terra já dá seus sinais. Não podemos ser inocentes e ficar impressionados com tais fatos, pois cometemos equívocos com a natureza todos os dias.
As transformações externas são necessárias para mover os corações, para que então possamos promover uma mudança íntima e encontrar nossa verdadeira essência, nossa legítima relação com o Pai Maior.
O capitalismo e consumismo desenfreados nos desviam de nossos propósitos e o homem despende esforços tremendos para aumentar suas riquezas não se importando com as consequências deixadas no meio ambiente. Maltratar o meio em que vivemos é um insulto muito grande pois, neste contexto, podemos nos colocar na figura  de um "miserável" sem ter do que viver, sem receber amor e carinho e sem poder se alimentar, que recebe um convite para viver sob um teto podendo contar com pessoas que o amparam e com refeições diárias e, no entanto, decide começar a quebrar o seu novo lar. Seria como, quando ainda em gestação, decidíssemos causar algum dano ao útero de nossa mãe, o que seria de fato um ato suicida.
Suicídio é o que cometemos causando mal ao meio em que vivemos, já que precisamos dele antes de qualquer coisa, para então depois tocarmos nossas vidas.
Fim dos tempos não... Transformações. E é melhor que elas ocorram em nossa intimidade para não presenciarmos as externas.
Para refletir... Um grande mestre nos convida todos os dias a uma mudança íntima (sem nunca se chatear com nossas recusas). Quando aceitaremos o convite?

Nenhum comentário:

Postar um comentário