segunda-feira, 23 de maio de 2011

Movimentar as energias, renovar a vida...


Será preciso mudar a vida?


Vida maluca, vida doida… Um dia se sabe o que quer e no outro já não mais. Quem é que pode conhecer o verdadeiro caminho para encontrar a paz? Não lembro mais de quem já fui, preciso me decidir sobre quem sou, ouvir o coração será o melhor caminho, não há dúvida.
Incertezas eu terei, planos novos, planos velhos, tanto faz… É preciso sentir no peito o que a vida pede, um passo a frente em direção a novos rumos. Lembranças, o vento às vezes traz, mas elas servem para mostrar que é preciso seguir buscando a vida, pois caso contrário as lembranças se perdem, as mais antigas ficam sem foco, não se pode mais lembrar do que houve e não há nada para registrar agora. Qual a razão?
O vento move aquilo que fica parado sobre a terra, mostrando que nada pode permanecer por muito tempo na mesma posição, é preciso movimentação, abrir mão do que já passou, apagar ou desconsiderar alguns fatos para abrir espaço no coração, onde pode caber mais alguém.
Um dia nos damos conta de que tudo passou em nossa frente e não soubemos captar. Deve ser dura a dor de ver um vaso se quebrar e saber que por mais que se una os cacos, nada será como foi um dia. Esse vaso irá se quebrar, não há dúvida… Por mais resistente que seja, não irá resistir ao tempo, o implacável tempo. O que pode importar a esse vaso é saber que no tempo em que era forte, podia cultivar sempre lindas flores. Pode estar faltando uma flor…

Nenhum comentário:

Postar um comentário