sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A vida e seus desafios


Sempre estaremos sendo desafiados de alguma forma pela vida e, assim, nosso propósito não pode ser o de querer eliminar os desafios, mas sim aprender como lidar com eles, já que estarão presentes todo o tempo.
Tentar eliminar os desafios da vida é, em outras palavras, fugir das próprias responsabilidades. Sabemos que conseguiremos fazer isso até certo ponto, mas, logo em seguida, de alguma forma seremos cobrados.
Como lidar com os desafios? Como saber a melhor maneira de encará-los? Estas são perguntas que poderão surgir. Torna-se relevante identificar o que nos tira de nosso eixo, de nosso equilíbrio natural. É importante saber que, assim como uma doença física provoca um estresse emocional, o inverso também ocorre. Quanto mais permanecermos submetidos ao estresse emocional, maiores serão as chances de adoecermos.
Nosso organismo funciona em um determinado nível de estresse fisiológico que é necessário. O problema é quando o nível se excede e, claro, maior será o problema quanto maior seja o período em que ocorre o excesso.
Se funcionamos além de nossos limites, despendemos mais energia do que temos e, em algum momento, nosso sistema imunológico sofre uma baixa, podendo ocorrer qualquer tipo de problema físico.
Por esta razão, é importante conhecer a forma que representa o melhor caminho para que possamos encarar nossos desafios sempre utilizando apenas a energia necessária, e não em excesso. Isso se torna possível por meio do autoconhecimento. Veja o que te aborrece e comece a prestar atenção, tente mudar o que for possível ou adequar as situações à sua maneira. Para o que não é possível conseguir por conta própria, existem as mais diversas modalidades de terapias com enfoque holístico para auxiliar neste processo, e é justamente onde entram os florais, ervas, radiestesia, massagens, acupuntura, reiki, etc.
Em algum momento da vida talvez possa valer a pena procurar por estes recursos... Já pensou nisso?

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Assim fora como dentro


Muitas vezes nos queixamos pela forma como vivemos o momento, reclamamos por não conseguir reverter uma situação que não nos agrada e achamos que estamos sempre com algum problema enquanto outras pessoas estão somente passeando pela vida.
Problemas todas as pessoas vivem e cada um do seu jeito. Nos dá uma impressão algumas vezes que estamos numa pior e que outros estão bem, somente pelo fato de que a pessoa com quem nos comparamos não vive a nossa dificuldade e então vemos nela a solução que gostaríamos de encontrar. Por outro lado, certamente esta pessoa também deve enfrentar algum tipo de dificuldade e que nem podemos imaginar.
A melhor solução sempre é tentar viver o conceito de "assim fora como dentro", ou seja, tentar compreender que somos os responsáveis pela situação que vivemos e que precisamos superá-la caso se trate de uma dificuldade. Não adianta ficar amaldiçoando nossos dias porque a vida não está como queremos, isso irá apenas piorar as coisas.
O conceito de assim fora como dentro trata de nossa capacidade de projetar em nossa vida aquilo que desejamos. Quando mentalizamos uma condição melhor e permanecemos firme nessa idéia, então essa energia positiva toma conta de nosso interior e tende a se exteriorizar. Portanto, sempre será "assim fora como dentro" não importando se de forma positiva ou negativa e acreditando nisso ou não.
É mais inteligente ser feliz e, assim, vale a pena ao menos tentar projetar nossa própria felicidade. Se não fizermos isso, ninguém poderá fazer por nós.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Uma visão sobre a cura


A cura não consiste no processo de combater a doença presente, mas sim em buscar criar uma sintonia que não se afinize a ela. É possível conseguir isso se fizermos uma análise de qualquer tipo de atitude ou pensamentos negativos que estávamos cultivando anteriormente ou no momento justo de quando a doença se instalou.
Para obter a cura não basta se entupir de medicamentos, sendo que eles irão agir apenas combatendo os sintomas e não a causa, que continuará latente e poderá se manifestar nas mais diversas formas mórbidas que conhecemos. Os medicamentos, em especial os alopáticos que são os mais largamente utilizados, são sim importantes (fala aqui um farmacêutico) mas não são o único recurso disponível e não poderão resolver todos os problemas. Se assim fosse, como era possível viver antes da prática da medicina que conhecemos hoje? Como viviam nossos ancestrais? Os consultórios médicos e indústrias farmacêuticas não foram criados junto com a humanidade, e ela se manteve até que ambos pudessem existir.
Quando disse anteriormente que é preciso criar uma sintonia diferente da atual para que possamos nos livrar das doenças, é na verdade algo bem simples de compreender, mais ou menos como a famosa frase: "o que vem de baixo não me atinge". E é isso mesmo, basta imaginar que podemos ser maiores que o mal que nos acomete e ver no que estamos errando em nossa postura diante da vida, assim é perfeitamente possível eliminar de nossa volta qualquer tipo de energia ruim que possa se converter em doença quando atingir nosso corpo físico (e atinge, mais cedo ou mais tarde).
Ser feliz e viver o bem estar é um direito de todos e, se isso não ocorre, é porque algo fazemos de errado e não porque estamos sendo castigados. Nós é que precisamos nos dar conta de que a vida é muito maior do que a distância entre o olho e o próprio umbigo, precisamos aprender a fazer parte da Obra!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Mesa Radiônica Quântica


A mesa radiônica quântica é um excelente recurso para ver como está o nosso nível energético, assim como pesquisar as causas dos bloqueios e inclusive já tratar alguns deles por meio dos recursos radiônicos de emissão energética disponíveis na mesa.
Não se trata de nada místico, e sim simplesmente a captação da energia presente, pois todas as pessoas possuem seu próprio campo de energia e são capazes também de perceber as energias que estão ao redor. Basta lembrar que muitas vezes temos sensações diversas quando entramos em um lugar ou quando alguém se aproxima, de forma que podemos ter um sentimento de paz, desconfiança, bem estar, medo, etc... As energias estão lá!
O mais interessante dessa ferramenta terapêutica é que o limite é a mente do terapeuta, de forma que quanto mais conhecimento ele possui sobre aquilo que investiga, melhores serão os resultados atingidos. Estes resultados podem ser impressionantes variando da profundidade da pesquisa radiestésica, de forma que podemos descobrir causas de nosso desequilíbrio energético que nem fazemos idéia de que aquilo poderia nos afetar.
Sendo um recurso que atua no campo energético vibracional, capta muito além do que nossa consciência racional pode nos mostrar.
Para os que não são familiarizados, a mesa radiônica é um recurso normalmente usado por radiestesistas, que já possuem afinidade no trabalho com o pêndulo, e é este instrumento utilizado para se chegar aos mais diversos diagnósticos através da mesa. O atendimento pode inclusive ser realizado à distância desde que o terapeuta possua um testemunho da pessoa que será atendida, que de preferência deve ser algo biológico, como um fio de cabelo. Se o terapeuta não possui um testemunho biológico, então pode produzir um sintético, simplesmente colocando o nome completo e data de nascimento da pessoa que será atendida em um papel e estabelecendo assim uma conexão. Isso se torna possível justamente pela aplicação da física quântica, onde o tempo e espaço são relativos, sendo possível interagir com eles.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Gerando a virtude oposta à falta


Quando nos desviamos do nosso propósito de alma, causamos uma desarmonia em nosso ser pelo fato de nos entregarmos às influências do mundo nos esquecendo de nossa real necessidade.
É possível dizer que somos aqui uma personalidade em busca de novas experiências e da soma de conhecimentos à nossa bagagem espiritual, mas somos também vulneráveis a todo tipo de influências, e assim podemos nos afastar do caminho traçado dentro de um planejamento para esta encarnação. Quando isso acontece, então é criado um conflito entre nossa alma, que nos lembra do que devemos fazer, e nossa personalidade, que se baseia nos impulsos e desejos humanos.
Uma situação conflitante gera uma desarmonia que desencadeia uma falta. Esta falta é uma fuga de nosso propósito, onde desenvolvemos alguma característica negativa, que no fundo prejudica a nós mesmos, e isso pode ocorrer na forma de rebeldia, ódio, amargura, vingança ou qualquer outro sentimento negativo. Quando estamos nesta condição e nos damos conta disso, é o momento de desenvolver então a virtude oposta ao sentimento negativo presente. É muito simples... Se uma pessoa é egoísta, não é o melhor caminho tentar suprimir o egoísmo, pois assim ele continua lá e estaremos dando atenção a ele e não conseguiremos erradicá-lo. Mas se esta pessoa desenvolver a solidariedade, então mudará seu foco para um aspecto que toma conta de seu ser e assim o egoísmo perde o espaço para agir. Assim funcionará com qualquer outro sentimento negativo, bastando encontrar o oposto a ele e desenvolvê-lo.
A virtude oposta à falta sempre é o melhor caminho para que possamos corrigir algum desvio que estejamos praticando assim que nos damos conta dele. Desta forma, estaremos nos favorecendo e criando harmonia entre nossa personalidade e nossa alma, que é nossa memória astral e sabe o que é melhor para nós, nos guiando pela vida dentro daquilo que planejamos fazer aqui.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Cuidar do emocional


Nossas emoções refletem aquilo que vem da alma e, assim sendo, é muito importante prestarmos atenção aos nossos sentimentos, pois eles nos guiam em nossa caminhada diária. Para raciocinar, precisamos parar e analisar um pouco o que quer que seja, mas os sentimentos regem nossas vidas mesmo de forma inconsciente.
A todo momento carregamos algum tipo de sentimento perante a vida, nossos planos e objetivos ou pessoas que nos cercam. Nossa forma de sentir a vida molda até mesmo nossa forma de pensar sobre a vida.
O emocional pode determinar nossas condições de saúde, pelo simples fato de que se cuidamos da emoções, nos sentimos bem e isso gera uma energia positiva que nos cerca, uma boa vibração que nos fortalece e impede que agentes de doença possam nos invadir.
Para cuidar do emocional, temos que prestar atenção na forma como nos sentimos, é preciso identificar algum fato que possa causar angústia, rancor, ansiedade, mágoas, etc. Todos estes sentimentos negativos podem aos poucos minar nossa resistência e assim nos deixar vulneráveis a diversos problemas que acabam se tornando uma bola de neve.
Com tudo isso, quero dizer que não é normal ficar triste, magoado, querendo vingança ou seja o que for. Se em algum momento da vida pudermos identificar algo dessa natureza, então é interessante investigar a razão e utilizar algum recurso para superar esta dificuldade, buscando assim manter o equilíbrio emocional. Não somos apenas um amontoado de órgãos independentes, tudo em nós se conecta, tudo em nós precisa de harmonia... A começar pela forma como nos sentimos diante da vida! Seu emocional está em dia? Se está, ótimo! Se não está, não fique sofrendo à toa!