sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Gerando a virtude oposta à falta


Quando nos desviamos do nosso propósito de alma, causamos uma desarmonia em nosso ser pelo fato de nos entregarmos às influências do mundo nos esquecendo de nossa real necessidade.
É possível dizer que somos aqui uma personalidade em busca de novas experiências e da soma de conhecimentos à nossa bagagem espiritual, mas somos também vulneráveis a todo tipo de influências, e assim podemos nos afastar do caminho traçado dentro de um planejamento para esta encarnação. Quando isso acontece, então é criado um conflito entre nossa alma, que nos lembra do que devemos fazer, e nossa personalidade, que se baseia nos impulsos e desejos humanos.
Uma situação conflitante gera uma desarmonia que desencadeia uma falta. Esta falta é uma fuga de nosso propósito, onde desenvolvemos alguma característica negativa, que no fundo prejudica a nós mesmos, e isso pode ocorrer na forma de rebeldia, ódio, amargura, vingança ou qualquer outro sentimento negativo. Quando estamos nesta condição e nos damos conta disso, é o momento de desenvolver então a virtude oposta ao sentimento negativo presente. É muito simples... Se uma pessoa é egoísta, não é o melhor caminho tentar suprimir o egoísmo, pois assim ele continua lá e estaremos dando atenção a ele e não conseguiremos erradicá-lo. Mas se esta pessoa desenvolver a solidariedade, então mudará seu foco para um aspecto que toma conta de seu ser e assim o egoísmo perde o espaço para agir. Assim funcionará com qualquer outro sentimento negativo, bastando encontrar o oposto a ele e desenvolvê-lo.
A virtude oposta à falta sempre é o melhor caminho para que possamos corrigir algum desvio que estejamos praticando assim que nos damos conta dele. Desta forma, estaremos nos favorecendo e criando harmonia entre nossa personalidade e nossa alma, que é nossa memória astral e sabe o que é melhor para nós, nos guiando pela vida dentro daquilo que planejamos fazer aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário