quarta-feira, 28 de junho de 2017

Por que não falamos da "logia" do Lenormand?


Sabemos que o sufixo "logia" se refere a estudo, de forma que podemos dizer, por exemplo, que biologia é entendida como o estudo da vida.

Trazendo este conceito para a nossa esfera, o mundo das cartas, muito ouvimos e lemos a respeito da tarologia, entendida como o estudo do Tarô. Do mesmo modo, aquele que exerce os conhecimentos absorvidos do Tarô é então o tarólogo.

Pois bem, e quando o objeto de estudo é o Lenormand e não o Tarô? Então só da para chamar de cartomancia? Onde está a logia (o estudo) do Lenormand? Ela não existe?

Contextualizando um pouco mais a coisa, podemos inclusive pensar o seguinte: a tarologia é o estudo do Tarô, conforme dissemos. E quando quem estudou o Tarô realiza uma leitura deste oráculo com propósitos divinatórios? Se trata, afinal, de uma arte divinatória; não poderia então receber o nome de taromancia? Pode e de fato este nome existe!

Há a impressão de se evitar o termo cartomancia quando a ferramenta em uso é o Tarô, assim como parece que, ao usarmos o Lenormand, só há o termo cartomancia associado. É mais do que isso!

É claro que não encaixaria a aplicação de um termo do tipo "lenormanlogia", tal como já fiz anteriormente com "lenormancia" para a leitura divinatória do Lenormand. Não se trata de batizados, mas de maior compreensão a respeito destes oráculos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário