domingo, 8 de julho de 2018

Cernunnos - o deus cornífero


O deus cornífero é o deus fálico da fertilidade, visto ainda como o deus da abundância e da virilidade e senhor dos animais selvagens. Geralmente é representado como um homem de barba com casco e chifres de bode.

Muitas vezes, Cernunnos foi assimilado ao misterioso Dis Pater de que César falava em "A Guerra das Gálias". No Gundestrup (O Caldeirão de Gundestrup é um artefato religioso encontrado em 1891 em Himmerland - Dinamarca), podemos vê-lo sentado com as pernas cruzadas, segurando um cordão (colar atributo das divindades) e uma serpente com cabeça de carneiro (símbolo da renovação).

Caldeirão de Gundestrup
Ele é o guardião das entradas e do círculo mágico que é traçado para o ritual começar. É o deus pagão dos bosques, o rei do carvalho e senhor das matas. É o deus que morre e sempre renasce. Seus ciclos de morte e vida representam nossa própria existência.

No País de Gales é assimilado a Gwynn ap Nudd, um dos soberanos do Annwyn, o Outro Mundo. Na Inglaterra é visto como Herne, o caçador.

Fonte: História das Mitologias do Mundo - Nanon Gardin

Nenhum comentário:

Postar um comentário