terça-feira, 9 de abril de 2019

Equívocos em trabalhos de cura espiritual


PERGUNTA: Porventura os próprios espíritos terapeutas também não podem errar nos seus diagnósticos, induzindo os médiuns a formularem receitas equívocas?

RAMATÍS: Isso é possível, porque em nosso atual estado evolutivo ainda enfrentamos inúmeras incógnitas e dificuldades imprevistas. Durante o nosso intercâmbio com a Terra, não atuamos de um plano sideral tão elevado, que nos permita visualizar panoramicamente o serviço mediúnico de socorro aos encarnados, pois o magnetismo da crosta terráquea envolve-nos de modo coercivo, dificultando nossas providências socorristas

O próprio guia pode prescrever medicação inadequada devido à interferência de fatores estranhos, tais como emissões de ondas mentais, projeção de forças telúricas, oscilações na frequência magnética vibratória durante a interligação com os médiuns ou no exame dos enfermos no espelho fluídico.

COMENTÁRIOS: Conforme vimos, de acordo com a resposta fornecida por Ramatís à questão, o próprio guia pode equivocar-se na prescrição de uma receita em um trabalho espiritual direcionado à cura. Costuma-se culpar o médium quando ocorre alguma prescrição indevida, seja de homeopatia (em casas que trabalham com esta terapêutica), de alguma planta medicinal ou mesmo uma recomendação. Afinal, é muito mais fácil imaginar que tenha ocorrido uma distração humana, ao invés de um erro do guia espiritual, visto por muitos de nós como um ser supremo. Verificamos, contudo, que o equívoco pode dar-se em qualquer parte da linha de comunicação.

Tenhamos em mente o seguinte: os esforços são enormes neste tipo de trabalho e as dificuldades são inúmeras. Assim, quem recorre a uma casa espiritual em seus trabalhos de cura, deve ali chegar com fé em Deus e acreditando receber o que estiver de acordo com seu merecimento. Sem dúvida, os que se predispõem a realizar trabalhos desta natureza devem ser muito bem preparados, mas os que buscam o atendimento devem considerar que será alcançado o que for possível.

Referência:
"Mediunidade de Cura", Ramatís - psicografia de Hercílio Maes
Capítulo 10 - Considerações sobre os pedidos de receitas apócrifas

Nenhum comentário:

Postar um comentário