segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Por que o fenômeno da mediunidade cresce?


O que segue abaixo é um trecho de questão extraída do livro "Mediunismo", de Ramatís.

PERGUNTA: Conforme temos observado, a mediunidade, atualmente, generaliza-se e recrudesce entre os homens de modo ostensivo. Por que ocorre tal fenômeno em nossos dias?

RAMATÍS: É fenômeno resultante da hipersensibilidade psíquica que presentemente sobressai entre os homens, em concomitância com o "fim dos tempos" ou "juízo final", tantas vezes já profetizado. O século em que viveis é o remate final da "Era da Matéria", regida pela belicosidade, cobiça, astúcia, cólera, egoísmo e crueldade, paixões mais próprias do instinto animal predominando sobre a centelha espiritual.

Encontrai-vos no limiar da "Era do Espírito", em que a humanidade sentir-se-á impulsionada para o estudo e o cultivo dos bens da vida eterna, com acentuado desejo de solucionar os seus problemas de origem espiritual. As comprovações cintíficas da importalidade da alma, através do progresso da fenomenologia mediúnica, reduzirão bastante a fanática veneração do homem pela existência transitória do corpo físico.

OBSERVAÇÕES: Quando Ramatís fala do "século em que viveis", está se referindo ao século passado, já que a primeira edição do livro "Mediunismo" foi publicada em 1960. O século XX, em sua concepção, foi o último no qual os valores materiais se sobressaíram aos espirituais. Agora vivemos o século XXI e notamos, inegavelmente, o crescente interesse pelas questões espirituais, assim como acontecimentos intensos no mundo material, evidenciando efeitos do despertar.

Quando Ramatís diz ainda que estamos no limiar da "Era do Espírito", faz menção ao período de transição da Era de Peixes para a Era de Aquário. O momento no qual vivemos já testemunha mudanças significativas em andamento.

Escola Virtual: https://cursos.lunacao.com/publico/

REFERÊNCIA:
"Mediunismo", Ramatís - Obra psicografada por Hercílio Maes
Capítulo 2 - A mediunidade e o "Consolador" prometido
Editora do Conhecimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário